quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

A vida começa aos 60

Hoje em dia o envelhecimento está se desmistificando. Terceira idade tem, até, nova nomenclatura, Melhor Idade!
Isso é muito legal. As estatísticas mostram que o homem (ser humano) tem, hoje, uma sobrevida. A medicina, a ciência de um modo geral, traz, cada vez mais, melhores condições para que haja esta sobrevida.
Clínicas, spas, ONGs, Centros de convivência, etc, proporcionam estas vantagens para os de melhor idade, que sabem aproveitar e viver melhor, realmente.
Agora os de melhor idade têm, até, preferência em financiamentos, excursões especiais, empregos direcionados e um leque de vantagens de fazer inveja a qualquer mocinho.
Foi-se o tempo em que a vida para os de terceira idade era esperar pelo fim. Hoje, a conversa é outra. Os de melhor idade passeiam, dançam, viajam, estudam, namoram, fazem planos para o futuro. Sim, não é o fim, mas, o começo. O começo de uma nova era. A era de dizer não a estes ranços do passado. A era que reconhece, nos de melhor idade, a pessoa que tem direito à vida e que deve ser inclusa na sociedade, pois que é muito produtiva, capaz, confiável, que pode conviver com todos, indistintamente, que são cidadãos, tão importantes quanto qualquer outro.
Posso dizer que estas pessoas maravilhosas da melhor idade são capazes de serem e fazerem outras pessoas felizes.
É muito bom quando as vejo dançando, fazendo ginásticas, trabalhando, produzindo, num esforço contínuo de serem desmistificados e aceitos.
A alegria que nos passam é contagiante e a vontade de todos eles são exemplos que devem ser seguidos.
Vivas para a melhor idade. A boa vida começa, realmente, aos 60.

10 comentários:

MIGUEL disse...

Amor, assim não vale!
Depois vc não vai querer me dar parte dos direitos autorais deste texto onde estou retratado em genero, numero e gráu.
Você apenas esqueceu de dizer que eu resnasci de verdade depois de te conhecer.
Só por causa disso eu não vou pedir na Justiça os meus direitos.
OBRIGADO POR VOCÊ PENSAR A MESMA FORMA QUE ESCREVEU!

Ana Lúcia. disse...

Soninha!! Nossa PAZ!!Queridona amiga!!
Eis aqui, mais um tanto de sábias palavras e tradução impecável da realidade humana atual!!
Eu digo, atrevidamente, que começamos a envelhecer desde o primeiro segundo de vida, entretanto, começamos a entender e valorizar os segundos de vida, depois de décadas vividas...
Quando melhora a claridade do sentido da existência, melhora a idade, e a cada ano vivido, aprendemos quão essencial são os sentimentos, a poesia e os amigos!!
O seu pensar está belíssimo
e a energia de cada frase é, sem dúvida, revigorante!!
Continue sempre transbordando para nós, seus amigos e fãs, essa inspiração saudável e sobretudo, carinhosa e verdadeira!!
Deixo aqui um beijãozinho emocionado, e um abração apertadinho.
PAZ! SAÚDE! SORRISOS! VIDA!!

Zeca disse...

Sonia,

na última terça-feria, parabenizando um amigo pelos seus cinquenta anos, estava dizendo que até os sessenta as pessoas estão no auge da maturidade, de suas capacidades criativas, emocionais e sentimentais e, claro, produtivas. E falo isso com conhecimento de causa!
E após os sessenta, conforme o histórico de vida de cada um, tudo isso permanece ainda por tempo indeterminado. Para alguns, começam a aparecer, lentamente, as limitações do "tempo de uso", mas espiritualmente, absolutamente nada muda. E outros levam toda essa vitalidade até os setenta ou mais.
Como sou prolixo, disse tudo isso para realçar a qualidade do seu texto: perfeita! Você, que ainda tem um bom caminho a percorrer antes dos sessenta, já captou com maestria o que se passa na mudança para a "melhor idade": nada! Na verdade, a grande maioria das pessoas não sente o "peso da idade", sentem apenas que a vida continua como sempre e que podem continuar fazendo tudo aquilo que sempre fizeram até alí.
Parabéns, minha amiga! Seu texto, além de excelente, é uma homenagem a todos (inclusive aos que estão longe da melhor idade...).

Beijo, carinho.

Luiz Carlos disse...

Oi Soninha!

Você nos fala, não é verdade?
Seus olhos bondosos e sua alma caridosa encherga as dificuldades, impostas pela sociedade, aos chamados "velhos".
É, minha amiga. Eu também caminho para a melhor idade, estou a um passo dela, mas, será mesmo a melhor idade?
Talvez a melhor seja aquela que nos faça mais felizes. Sinto saudade das idades que me trouxeram felicicade. Entre elas estão muitos anos de minha infância e muitos de minha juventude também.
Espero recolher momentos muito bons quando eu envelhecer um pouco mais do que já estou.
Parabéns pelo texto.

bjs

Anônimo disse...

Muito expressiva e verdadeira a tua prosa. Parabéns pela abrangência sintética do assunto.
A humanidade longeva, com uma velhice saudável e lúdica, é um fato constatável a olhos vistos, por isso devemos agradecer o empenho da ciência que está fazendo com que prolonguemos a vida.
Isso é muito bom, mas já vem trazendo sérias preocupações com o sistema previdenciário.
Os governos que administram as nações sobre este planeta, calculam com equações desesperadas, a busca de uma solução para a senilidade que desponta silenciosamente.
Por exemplo, ontem aqui em Imaruí-SC, faleceu uma Senhora com 107 anos, é causa de admiração para muitos, entretanto, constitui um problema para o Estado, que ainda não elaborou um sistema para garantir a segurança dessa velhice sábia e lúdica.
Parabéns Sônia, realmente a tua versatilidade é, por demais, ubérrima e inteligente. Aplausos! Ave Sônia!

Anônimo disse...

Sônia, o meu comentário saiu como "Anônimo", mas o dito é o Eráclito Alírio da Silveira, um "Bios" que ainda não se adaptou ao teu blog.

Loba disse...

Soninha, já faz um tempo estou pensando/falando/escrevendo sobre a melhor idade. Embora, pra mim, melhor idade seja a do presente, reconheço que caminho para a terceira idade com toda esta disposição retratada em seu texto. Coisa boa é constatar que a alegria cresce na mesma proporção em que cresce a expectativa de vida em nosso país, né? Mesmo que isso seja uma preocupação previdenciária. Vida é pra ser louvada sempre! E que seja tb respeitada sempre!
Um beijo querida!

Dora disse...

Soninha...Fui reclamar ao Miguel que seu blog não abria para mim...rs E vim fazer novas tentativas. Agora, consegui!!!
Foi uma delícia ler sobre a vitalidade da atual geração denominada "melhor idade"!
Penso que aos 60 anos, as pessoas adquiriram uma experiência significativa de vivências. Antes, isso coincidia com a degeneração rápida do organismo físico. Hoje, há essa maravilhosa expectativa de sobrevida de muitos anos saudáveis, além dos 60...Então, a boa nova reside aí: as pessoas da melhor idade estão mais rejuvenescidas de corpo e mais sábias de espírito.`
Portanto me uno a você, e envio meu aplauso para "a melhor idade"!!!
Beijos e carinho!
Dora

Canto da Boca disse...

Soninha, olá, flor, tudo bem?? Claro que me recordo da nossa festa no AO, aquilo era pleno exercício de alegrias...
Teu blog também não abria para eu te ler... Insisti e cá estou.
Ratifico tudo o que disseste e o que já foi dito. Entretanto, ser feliz, ter saúde, aposentadoria, dignidade, deveria ser um direito inalienável de toda a gente, mas infelizmente não abraça todos, mas um dia chegaremos lá.
Obrigada pela indicação, e assim que der eu vou ajeitar e colocar na minha galeria, os tantos que já recebi.
Fica bem, e volto aqui com mais vagar pra conversarmos.
Um beijinho carinhoso.
;)

Jens disse...

Oi Soninha.
Permita que, desta vez, eu discorde de você.
Nâo acho que a boa vida começa aos 60. Acredito que apenas ingressamos em um novo patamar, que pode ser bom ou ruim, dependendo do que plantamos antes. Como disse o poeta, "falam tanto de uma nova era e se esquecem do eterno é".
Um beijo com carinho.