domingo, 19 de julho de 2009

SOS natureza

Dia destes, chovia a cântaros e eu passava de carro pela avenida Luiz Inácio de Anhaia Melo, famosa rua em Sampa. Não bastasse o trânsito insuportável, o alagamento de certos trechos me fazia buscar outras opções de caminho para que eu pudesse alcançar a rodovia Anchieta e ir para casa.
Enquanto parada por conta do congestionamento, pensava no descaso da população com relação ao excesso de lixo que flutuava pelas poças d’água e complicava, ainda mais, a vida dos transeuntes que lutavam por escapar de tais armadilhas.
Como seria bom se todos adotassem certas medidas comportamentais para começar a mudar o aspecto do planeta e nem precisamos de excentricidades para isto. Bastam atitudes simples como fechar a torneira ao escovar os dentes, banhos mais rápidos, retirar os resíduos de alimentos antes de lavar os pratos, usar os produtos até o final de sua vida útil e comprar novos somente quando necessário, apagar a luz ao sair de um ambiente, usar integralmente os alimentos, evitando o desperdício, desligar aparelhos eletrônicos quando não estão sendo usados, varrer o lixo com a vassoura e não com a mangueira d’água, usar água de chuva para lavar automóveis e os quintais, separar o lixo para a coleta seletiva, utilizar produtos de limpeza biodegradáveis, reciclar e por aí vai.
Isto me fez pensar, também, no exagero de certas ações que, nem sempre, trazem os efeitos salutares necessários como, por exemplo, ficar abraçado à velha árvore para que ela não seja derrubada ou atear fogo ao próprio corpo como forma de protesto, considero exageros. Tem plantas que podem se retiradas de certos locais e replantadas em outros. Isto é normal. Botar fogo no próprio corpo é suicídio e não protesto. Isto choca e não resolve nada. O buraco é mais embaixo e há que sermos mais realistas.
Cuidar da ecologia não é mais assunto para as próximas gerações, pois já estamos pagando o preço por conta da degradação. Buraco da camada de ozônio, aquecimento global, derretimento das calotas polares, tufões, furacões, tsunamis, epidemias, são respostas da própria natureza quanto às agressões que ela vem sofrendo. Nosso planeta está doente, em estado grave na UTI. E não basta só bradar conceitos e abraçar causas esdrúxulas, se transformando num ecochato de primeira.
Água potável será o motivo de guerras futuras. Caiamos na real.
Sou uma pessoa normal que usa combustível no carro, sapatos de couro e roupas de materiais sintéticos ou não e que não abre mão do conforto da eletricidade, mas, entendo que o importante é ter iniciativa e atitudes efetivas, nos conscientizando da necessidade de adotarmos hábitos simples como consertar uma torneira pingando, contribuindo para que não se esgote nosso recurso natural e não soframos o efeito bumerangue, ou seja, mandamos sujeira para a natureza e ela nos devolve tragédias.
Há quem diga que bicho também é gente. Pois digo que gente também é bicho e merece todo o respeito, com tudo de bom que a natureza pode nos oferecer. Basta cuidarmos dela, pois ela está precisando de fôlego para se recuperar.
Muita paz!

15 comentários:

Miguel S. G. Chammas disse...

Taí, mulher com essa consciência é que nos dá orgulho.
Li seu texto, fui assimilando cada frase e tentando me colocar nas entrelinhas.
Num certo momento me achei, torneira pingando...fato ocorrido ainda nesta semana.
Benzinho, já providenciei a vinda do profissional para o devido reparo.
Lindo e atualissimo texto meu amor. Parabéns.

Anna Lúcia disse...

Oi amiga, vc sabe que sou chique né. Cheguei recentemente de viagem de férias pelos lados da Espanha, Portugal, Itália, França e outros lugares fantásticos. Tenho visto algumas manifestações por causa desta questão quer vc aborda. Na Europa pude ver um grupo do GreenPeace que agitava uma manisfetação em favor dos Oceanos.
Mas, sabe de uma coisa amiga? Esta sua aqui está tão elegante que estou orgulhosa.
Saudade de vc. Faz tempo né.
Muito bom.

bjs

PS: Casei daí sumiço e a viagem. Foi lua de mel. aeeee

Jens disse...

Oi Soninha.
Concordo com a sensatez das tuas ponderações e tento fazer a minha parte. Por exemplo: passei a tomar banho quinzenalmente; na primavera a periodicidade será semanal; no verão de dois em dois dias, talvez. Há quem não entenda e me classifique como relaxado. Ts, tsc, tsc... Nem todos se conscientizaram ainda.
Também comprei uma sacola de pano, para substituir os sacos de plástico. Mas ainda não adquiri o hábito de levá-la a cada ida ao supermercado. Ainda chego lá.
Quanto à economia de eletricidade, ocasionalmente permito que cortem a energia. Não se trata de avareza ou falta de recursos; é apenas um procedimento consciente que me obriga a poupar luz até a religação.
Sou assim, um cidadão limitado mas consciente.
***
Agora, sem gracinhas: compartilho da tua preocupação ecológica, mas procuro não pensar seriamente no assunto (sacumé, preciso manter sob controle o meu catastrofismo latente). Faço o que posso.
***
No mais, obrigado por você ser quem você é e do jeito que é. Diante de uma amizade assim, só posso agradecer aos Deuses pela tua existência.
Obrigado pelo apoio nas horas amargas. Vale, valeu e sempre valerá!
Felicidade sempre.
Um beijo.

Jota Effe Esse disse...

Como seria bom se tivéssemos consciência ecológica! Por quanto tempo ainda sobreviveremos sem essa consciência? Meu beijo.

Euza disse...

Consciência ecológica é um hábito que se adquire desde a infância. Muitas gerações passaram em branco em relação a este hábito. Mas sabe que ando feliz da vida com meus netos? Eles não só estão aprendendo a respeitar a natureza como estão ensinando aos adultos!
Uma pena que nós adultos sejamos tão insensíveis e tão aversos a mudanças comportamentais, né? Mas acredito nesta geração que está crescendo. Acho que vem deles o exemplo para que possamos todos nos envergonhar e buscar mudanças! E que sejam breves!
Beijo, queridona!

Dora disse...

Soninha...Penso que nós( falo de mim e de você), mais ou menos, fazemos parte da geração que não se preocupava com a ecologia...acertei?
Mas, diante da revolta da Natureza, estamos aprendendo hábitos novos ( que já deveriam fazer parte de nosso aprendizado...lá atrás...rs), se quisermos deixar um mundo melhor para nossos descendentes, e para nós mesmas.
Concordo com todas as suas práticas "ecológicas". E, como você, não aprecio os excessos, como o das pessoas chorarem e passarem a noite velando "baleia encalhada" na praia...rs
Um enorme abraço para você, querida!
Dora

Ilaine disse...

Oi, Soninha!

Concordo plenamente com você. Penso que é nos pequenos gestos que estão os grandes feitos. E estes estão sempre ao nosso alcançe, de modo que podemos agir e ajudar. Parabéns pela linda crônica.

Abraço, com carinho

Cecília disse...

Seria ótimo que mais pessoas pensassem assim...
eu tento sempre fazer minha parte e ensinar Matheus a fazer a dele, acredito que o cuidado com a natureza começa logo cedo!

Beijosssssssssss

Zeca disse...

Soninha,

parabéns por mostrar-se ecologicamente correta sem ser uma ecochata!
Acredito que o papo tenha que ser exatamente como o que você escreveu, do mesmo jeito e com a mesma contundência, para incorporar-se às nossas "cabeças duras", pois os mais jovenzinhos já estão sendo educados dentro dos novos tempos, com uma consciência ecológica sendo desenvolvida, mas nós... fomos criados sem a menor preocupação com o planeta que tudo nos dá. No máximo ouvíamos um "menino, apaga a luz que a conta no fim do mês vem alta!"
Ninguém nos avisou que a Terra poderia se aquecer, que havia uma camada de ozônio a ser preservada, que a água era finita e que a própria terra da Terra poderia ficar saturada pelo lixo que também não nos ensinaram a tratar e jogar no "seu devido lugar": o lixo!
Ninguém nos avisou que um simples copinho plástico de sorvete jogado na praia, seria levado pelas marés e acabaria no fundo do mar, ajudando a matar o ecosistema marinho!
Então, é hora de aprendermos e apreendermos tudo isso com a maior urgência. E seu texto está perfeito para isso, por ser claro, direto, contundente e absolutamente nem um pouco chato! Ele é limpo e objetivo! Perfeito!
Pronto para pessoas normais como você, eu ou os demais leitores, que usamos combustíveis, sapatos de couro, roupas fabricadas a partir de fibras sintéticas, usamos todo tipo de produtos oriundos da indústria petroquímica, não abrimos mão dos confortos da modernidade e nem sonhamos em nos privarmos da eletricidade! De preferência obtida a partir de fontes limpas, mas isso já é um outro papo!
Mãos à obra, então! Abramos logo essa cruzada em socorro à natureza, pois não podemos sobreviver sem ela!

Beijos, carinho!

Eráclito-Alírio da Silveira disse...

Sônia, não vou fazer comentário, vou sim, transcrever uma homenagem pela passagem do dia 26 de julho. OK

AMÁVEL SÔNIA

26 de Julho

Parabéns minha querida!

Hoje, sem escrúpulos de consciência e sem a minha intrometida e terrível timidez, eu quero te confessar que, se estivesse perto de ti, eu despetalaria muitas rosas, talvez um milhão delas, para, com as pétalas enfurecidas de perfume, te cobrir da raiz dos teus delicados pés às raízes dos teus lindos cabelos.
E, em ato continuo, num ritual amoroso e morno de beijos, carinhosamente insistentes, retiraria todas as pétalas do teu corpo, deixando-te apenas inebriada com esse perfume selvagem de rosas.
É lógico que depois de enternecido por esse ritual amoroso de beijos e, aquecido numa câmara inebriante de aroma de rosas, eu não saberia mais a quem estaria beijando, se as pétalas ou a pulcritude da flor linda do teu corpo santo.
Entretanto, nesse ritual sagrado, eu acho que perceberia o que o tempo está fazendo com os teus cabelos, exatamente o que ele fez com os meus, sem pedir licença, é claro, pois sem querer ele os deixou prateados.
Minha querida amiga, esse é o afã incoercível do tempo que, devagarzinho, vai metalizando aquilo que era preto e vistoso, agora teimosamente transformando num crescendo silencioso de branco cinza cheio de muito juízo, tudo contrário a nossa vontade.
Sônia poetisa, cronista e articulista, agora eu vou te dizer uma coisa: Eu quero te dizer que o tempo não pode nos proibir, mesmo que ele nos castigue com o seu cruel cinzel, mesmo que ele nos branqueie os cabelos, mesmo que ele nos deixe com as mãos trêmulas e um pouco esquecidos, pois este verdugo de todos os tempos que é o próprio TEMPO, não pode nos proibir de AMAR.
Querida Sônia, até os nossos sonhos já criaram ou vão teimosamente criando juízo, pois o nosso mundo onírico está repleto de anjos, fadas encantadoras, entes divinos, paraísos celestes, oásis nas nuvens e, às vezes, chegamos a voar como verdadeiros projetos de querubins.
Agora, eu também quero te dizer que essa data passou a ser importante para mim, pois nessa data nasce mais um fruto, o fruto da tua amizade, o fruto da doce esperança na minha envelhecida árvore da vida.
Amável Sônia, desejo que essa data se repita muitas vezes, e que todas sejam comemoradas com os milhões de rosas que te desejei no princípio desta homenagem.

FELIZ ANIVERSÁRIO, QUERIDA SÔNIA!

Ana Lúcia. disse...

Soninha, queridéééééérrima amiga!!
Cheguei aqui,
pronta para devorar
um pedaço de bolo
sabor brigadeiro.
Não o encontrei.
Deparei com um coração
lindo
do tamanho do mundo,
um coração que transborda paz, consciência,
plenitude,
sapiência,
afeto, carinho ...
Natureza?
Não. Natural,
esse é o seu coração: natural, verdadeiro,
transparente,
amigo,
solidário!
Tantas são suas qualidades...
Inúmeras são as oportunidades
que você agarra
para defender o Ser Humano,
a HUMANIDADE,
o PLANETA TERRA
E SEUS OCUPANTES!!
Hoje, no dia do seu aniversário,
a amazônia vem depois,
a água fica em segundo lugar,
a reciclagem vira passado...
Hoje todas as nossas energias positivas e saudáveis
são direcionadas para você,
te desejo alegria,
paz,
prosperidade,
amor,
afetos,
amigos de verdade,
FELICIDADE!!
Que Deus te abençoe
e proteja sempre mais!
Um beijãozinho com abração apertadinho!!

Dora disse...

Nossa! Depois da verborragia da Ana Lúcia, que digo?
Querida Soninha, eu digo simplesmente "parabéns", "felicida-des"!
E deixo meus votos sinceros daquela Paz que você nos deseja sempre! Além de querer mais cem anos de vida prá você!
Meu abraço de todo carinho e afeto!
Dora

Zeca disse...

Soninha,

embora um pouquinho atrasado, quero deixar aqui os meus desejos de grandes alegrias, com bastante saúde e paz infinita em teu coração. Teus caminhos, iluminados pelo teu espírito, te serão leves e terão suas pedras afastadas para que tua caminhada em direção ao crescimento seja direta. Que a tua luz continue por muito tempo iluminando os nossos caminhos, ainda tortuosos e cheios de obstáculos.
Felicidades ontem, hoje e sempre minha querida amiga de infância.

Beijos.

Jens disse...

UAU, Soninha: aniversário e eu não fui convidado? Snif, snif...
Parabéns pra você! Tudo de bom.
Saúde, felicidade, paz e alegria na lavoura da amizade.
Um beijo.

Jeanne disse...

Parabéns pela postagem, Soninha.
O centro espirita em que trabalho está desenvolvendo muitas ações em torno de ecologia, inclusive junto à evangelizaçào.
Pena que agora estamos com as aulas suspensas até 22.08 por causa da nova gripe que está muito forte aqui no Rio Grande do Sul, para piorar o frio tem sido de castigar!
Mas tudo bem, vamos desejar que tudo melhore logo e o inverno tambem ajude um pouco sendo menos rigoroso, não é mesmo?
Beijos